Raif Badawi o Direito de Ser Blogger

Somos todos Raif Badawi, se acreditamos que a liberdade de expessão é um direito inalienável da Pessoa Humana, então todos somos Raif Badawi.

O Humanismo

O Humanismo mais que uma ideologia é uma praxis ao alcance de cada um de nós, somos chamados a fazer o que estiver ao nosso alcance e de acordo com as nossas possibilidades em prol do bem comum.

A Terceira Idade e a Cultura Intergeracional

A revolução grisalha, e a cultura de uma sociedade intergeracional, juntanto-se a todo o conjunto de uma cultura de inclusão, a força da juventude e a sabedoria da idade produzem um mundo novo.

Solidariedade Social

A solidariedade social, mais que comunhão de esforços em prol de causas é o dar-se em prol dos nossos semelhante, é um dos temas centrais deste blog,.

Trabalhos Académicos, do Serviço Social e Sociologia à Ciência Política

Desde 2010 que o Etcetera, disponibiliza para consulta, um conjunto de estudos académicos de várias áreas da ciência, como sociologia, psicologia, ciência política, economia social entre outras.

Sugestões de Leitura - Lista de Livros

Lista de Livros, sugestão dos mais importantes da Literatura Universal e Humanista, o mais importante é ler bons livros e não sermos guiados pelos livros da moda.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Dia em Memória das Vitimas do Holocausto


Nunca Mais! Mas lembrar sempre as vítimas do Holocausto
Dia 27 de Janeiro é o Dia Internacional em Memória das Vitimas do Holocausto, cometido pelo regime nazista. Dos 6 milhões de Quedoshim (santos mártires) muitas almas deixaram de prosseguir o curso de suas vidas, de fazer parte da criação diária que Deus concedeu a cada um de nós.

Honrar os que morreram, crianças, jovens e idosos, mulheres e homens, sefarditas e asquenazis, ortodoxos e conservadores, de todas as partes da europa ocupada, foram arrancados à vida, para um sofrimento inqualificável; juntamente com os 6 milhões de judeus, morreram também Testemunhas de Jeová, ciganos, doentes mentais, deficientes físicos, comunistas, sociais-democratas, artistas, e intelectuais opositores ao regime nazista.

Não permitamos nunca que isto volte a acontecer, nem ao nosso povo, nem aos nossos amigos e nem aos nossos inimigos. Que a paz prevaleça, e que a justiça sobreviva sempre para o bem de todos.

O Primeiro Ministro Israelita Benjamin Netanyahu afirmou: "O desejo de destruir o povo judeu permanece, o que mudou foi a capacidade de nos defendermos!"

Holocausto Nunca Mais!!!



Por Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Passos Coelho: "O Syriza é um Conto de Crianças"


As declarações do PM, não promovem um diálogo de consenso
O Que o Primeiro Ministro português Passos Coelho finge não entender, nas declarações que fez ontem à imprensa, sobre a vitória do Syriza, é que não é à custa de uma grave crise social, com desemprego, miséria, e falências, que se paga a divida, é com crescimento económico, e é com gente de coragem no governo para exigir o melhor para o seu país e o seu povo, na construção de projetos de futuro.

Não é com "sangue, suor e lágrimas", como diria Churchil, que se constrói a Europa das nações, nem com salários em atraso, falências, destruição dos serviços de saúde e educação, emigração massiva de jovens universitários, suicídios entre outras misérias, que são a consequência das políticas da Troika, e que estão nas entrelinhas do programa de governo PSD-PP, para pagar uma divida externa, que visou fundamentalmente salvar a banca e as suas falências fraudulentas, até porque os desequilíbrios financeiros, dos países como Portugal, foram feitos pelos políticos não pelo povo.

Entramos na UE para quê? Portugal hoje é mais pobre, o Estado ficou descapitalizado, vendeu tudo, o povo está endividado no futuro até à terceira ou quarta geração. Para quê estes sacrifícios?

Não entenderam nada do que os gregos disseram nas Urnas, o que está errado não é ser de esquerda ou de direita, o que está errado, é a inversão de valores, de políticas económicas europeias cada vez menos solidárias.

Entrar para a CEE, e permanecer na Europa, tem que valer a pena para as suas gentes, caso contrário valerá apenas para uma minoria de gente rica e poderosa que escraviza mais de 507 milhões de europeus, acorrentados a dividas e orçamentos financeiros, para satisfazer a voracidade Neo-liberal à custa do empobrecimento dos países mais pobres do sul da Europa, com a conivência dos seus governos.

Custa a engolir aos neo-liberais, que a Grécia tenha agora um governo grego para os gregos, tal como afirmou o jornal Público.

Não é aos desempregados, nem aos reformados ou pensionistas com baixos rendimentos, ou aos trabalhadores com salários em atraso, aos trabalhadores que ganham um ordenado mínimo que mal dá para comer, nem aos licenciados cuja oportunidade é na maioria das vezes emigrar, não é a nós o Povo que a vitória do Syriza ou a crise grega mete medo.

O que nos mete medo, e o que nos envergonha é a cumplicidade de políticos que fazem do nosso país, uma nação Pária dentro da Europa

Por Filipe de Freitas Leal




contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Syriza: "A Grécia Virou Uma Página na Europa"


A União Europeia prepara-se para negociar com Alexis Tsipras e o Syriza
Após o resultado obtido, e o discurso de vitória, Tsipras afirma, que a Grécia virou uma página na Europa", será o primeiro ministro, com o qual a Europa terá de negociar, no entanto, sem a maioria absoluta, terá que negociar com os partidos da oposição, o que faz com que o programa de governo nasça mais dessas negociações, do que do programa eleitoral votado no pleito de hoje.

Não acho normal o Primeiro-Ministro português não comentar absolutamente nada sobre a vitória do Syriza nas eleições gregas, porque até pelo protocolo é presumível que Passos Coelho tenha que enviar um comunicado de congratulações a Alexis Tsipras que será o seu homologo grego.

Era espectável que todos os partidos à esquerda se identificassem com esta vitória, uns mais que outros, e que evidenciassem a consequência da austeridade sem crescimento que troika causou na vida económica e social grega, mas também portuguesa, bem como o fracasso do liberalismo, visível na crise social, que é um verdadeiro Iceberg.

A teoria de uma Europa a duas velocidades, faz cada vez mais sentido, e antes tarde que nunca é importante que se tenham em conta as assimetrias dos países do sul da Europa, com os países do Norte.

Por Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

O Impasse Grego, da Europa e do Euro


A UE fez um ultimado ao Syriza, "Não aceitamos alterações!"
Atenas, 25 de janeiro de 2015, dia de eleições legislativas, prevendo-se à boca das urnas, uma vitória do partido esquerdista Syriza - Coligação da Esquerda Radical, que inclui um total de 12 partidos e movimentos políticos de várias correntes da esquerda, uma espécie de BE Bloco de Esquerda português, ou do Podemos de Espanha, e que vem lançar novos dados no jogo político económico europeu, e um impasse sobre o que se irá passar caso o partido tenha maioria absoluta, tendo até às 20h00 de hoje, uma margem de 38% do total de votos.

A União Europeia, o Fundo Monetário Internacional e a Chanceler Angela Merkel, fizeram à ultima hora, um ultimato a quem vencer as eleições, quer seja o Syriza, quer seja a Nova Democracia, não haverá mudanças aos acordos sobre a divida, Ângela Merkel chegou a afirmar que se a Grécia quiser deixar a zona euro, ou a UE poderá fazê-lo, o que não implica alterar contudo os acordos com a troika; pelo que o Syriza clarificou a posição de se manter tanto na UE, como no euro, ou ainda na OTAN.

O líder do Syriza, Alexis Tsipras, ao que tudo indica, será indigitado o novo primeiro ministro grego, terá um trabalho árduo, que lhe caberá doravante, e não lhe é nada fácil, primeiramente pela tarefa de reerguer a economia grega, sobretudo quando há a necessidade de corrigir e aperfeiçoar o sistema tributário para evitar a fuga aos impostos, que é uma tradição na Grécia, que foi uma forma de desobediência  civil dos gregos à dominação otomana, tudo isso junto, com a pressão de uma população empobrecida pela asfixia da economia grega, vendo no líder da esquerda, como um Messias Helénico, tudo isto leva-nos a crer que a Troika e as politicas da UE Falharam porque não tiveram em conta o interesse do bem comum e dos povos dos países membros, castigando-os com o desemprego, o desastre económico e uma grave crise social, que divide a Europa entre o Norte e o Sul.

O Parlamento grego, saído destas eleições será um parlamento alterado, não apenas na percentagem que cada partido tem, mas fundamentalmente na sua composição, os resultados das sondagens à boca das urnas são os seguintes:

Syriza - Coligação da Esquerda Radical, 36,86% (150 cadeiras)
Nova Democracia, 28,34% (76 cadeiras)
Aurora Dourada, 6.38% (17 cadeiras)
To Potami (O Rio), 5,83% (16 cadeiras)
KKE - Partido Comunista Grego, 5,41% (15 cadeiras)
Pasok - Partido Socialista Grego, 4,81% (13 cadeiras)
ANEL - Partido dos Gregos Independentes, 4,69% (13 cadeiras)
Kinima - Movimento dos Socialistas Democráticos, 2% (não elegeu deputados)





Por Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Cartoon # 19 - Desigualdade e Indiferença

Dia 3 de janeiro, foi o dia fatídico na Nigéria, a Amnistia Internacional estima que poderão ter sido mortas cerca de 2000 pessoas, na vila de Baga, pelos ataques do grupo terrorista islâmico Boko Haram, o mesmo que em 2014 sequestrou 200 meninas de uma escola.

O Mundo não se tem manifestado contra estes atos, apenas palavras de circunstância, pelo que se pode entender que para além das desigualdades há também a indiferença dos países ricos sobre este caso.

Não temos informações do autor, a imagem foi partilhada no facebook pela página #OCatequista.


Por Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Raif Badawi - O Direito de Ser Blogger


O blogger saudita Raif Badawi, de 31 anos, casado e pai de três filhos, foi condenado pelo uso da liberdade de expressão e pensamento, em artigos no site Rede Liberal Saudita, onde pedia a diminuição da influência da religião islâmica da corrente wahabita, na sociedade e na política do seu país, Badawi é acusado de subversão, mas o mais grave é a acusação de renúncia à fé, o que geralmente pode conduzir à pena de morte.
A família do blogger, está a viver exilada no Canadá desde a sua detenção em 2012, e vários ativistas dos direitos humanos, como a Amnistia Internacional, e a Human Rights  Watch, movimentam-se em petições para a libertação do blogger saudita.
Dia 9 de janeiro, Raif Badawi recebeu as primeiras cinquanta das mil chibatadas em que lhe foram impostas com punição, cumprindo-as em praça pública na cidade de Riad, capital da Arábia Saudita.
A mulher de Badawi, teme que o seu marido não resista à próxima aplicação da pena, de outras cinquenta chicotadas, que está prevista para a sexta-feira do dia 16 de Janeiro de 2015.

A Amnistia Internacional, juntamente com outros ativistas, estão a lutar pela libertação do blogger e também para que a liberdade de expressão, como o simples facto de se poder ter um blog possa vir a ser uma realidade na vida social e política saudita.





Ou no LinkAmnistia Internacional, Libertação para Raif Badawi

Autor Filipe de Freitas Leal


Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Ani Charlie - Je Suis Juif

Foram a enterrar 7 das vitimas dos ataques de Paris
Hoje, dia 13 de janeiro, realizaram-se as exéquias funebres de 7 das 17 vitimas dos ataques de Paris, que se iniciou na quarta-feira do tenebroso dia 7 e terminou na sexta-feira, com a morte dos terroristas, tendo um deles assassinado quatro reféns, todos de religião judaica que se encontravam no supermercado kosher no momento em que se deu o sequestro.

As quatro vitimas, de confissão judaica, foram a sepultar em Jerusalém, a Capital de Israel, que para efeito estava coberta de bandeiras pretas com os dizeres "Jerusalém é Charlie" e contrastando com o branco da neve que cobre a cidade.

Netanyahu discursando nas exéquias
A cerimónia realizou-se junto ao muro das lamentações, num clima de grande consternação, onde estiveram presentes os familiares, políticos e lideres religiosos, como o Gran-rabino sefardita Ytzak Yosef, na leitura dos salmos e do Kadish (uma oração fúnebre judaica lida em aramaico), entre os presentes, contou-se com a presença do Presidente israelita Reuven Rivlin, e do Primeiro-Ministro Benyamin Netanyahu, ambos discursaram sobre o crescente antissemitismo que se vive hoje, tendo Israel conseguido a garantia do governo de França para a proteção das escolas e sinagogas, que passam a estar guardadas por elementos do exército francês. Por fim Netanyahu citou o nome das quatro vitimas: François Michel Saada  com 60 anos, Philipe Braham de 40 anos, Yoav Hatabb com apenas 21 e Yohan Cohen de 22 anos, todos os quatro receberam uma condecoração da Legião de Honra a titulo póstumo, pela mão da ministra francesa do ambiente, Segolene Royal. 

"Clarissa, Franck, Ahmed morreram para que nós possamos viver livres." François Hollande

Os três agentes da policia francesa enterrados em Paris
Quase que simultaneamente em França, foram também a enterrar numa cerimónia com honras de Estado, os três polícias mortos no combate aos terroristas, foram condecorados pelo Presidente francês François Hollande, tendo também a companhia do Primeiro-Ministro Manuel Valls, no momento Hollande referiu-se aos policias assassinados, como pessoas de grande coragem e dignidade, que morreram pela liberdade, frisando os nomes dos agentes Ahmed Merabet de 40 anos, muçulmano e de ascendência argelina, Clarissa Jean-Philipe de 26 anos, nascida na Martinica e Franck Brinsolaro que tinha 47 anos.




Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Maomé na Nova Edição do Charlie Hebdo

Está já definida a nova capa para o último número do CHARLIE HEBDO, que terá um total de 3.5 milhões de cópias, e que optou por colocar o Profeta Maomé na capa do último número, com uma frase por baixo do logotipo, onde afirma: "Este é um jornal irresponsável", a edição sairá para as ruas dia 14 de janeiro, tendo a cor verde de fundo, e o profeta segurando um papel a dizer "Je Suis Chalie" e como manchete, a frase "Tout est Pardonné" tudo é perdoado.
Esta é a primeira edição, que se segue após o ataque que vitimou 17 pessoas ao todo, 8 jornalistas, 2 policias, 4 reféns do supermercado kosher e dois cidadãos que estavam perto do edificio do Charlie no dia fatídico.
Este número tem a diferença que é elaborado na sede do jornal francês, "Liberation", e manter-se-á assim provisoriamente; O advogado do jornal satirico francês, deu uma entrevista a uma estação de rádio, a France Info, na qual afirmou que o semanário, terá para além de Maomé, cartoons sobre políticos e figuras religiosas, e que é essa a natureza do semanário, informar através de cartoons, e não abdicará da sua linha editorial e da liberdade de expressão.

Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Poema # 45 - Se fosse assim

Se fossem tijolos os meus sentimentos
Erguia as paredes de uma mansão,
Alegre, ampla, colorida, em flor.
E se fossem telhas meus pensamentos
Abrigava ternamente no coração,
Casas, jardins, crianças e amor.

Mas sentimentos não são assim, não
Não são tijolos, nem casas, nem flor
Não constroem muros, talvez ilusões.
Pensamentos não são como telhas, não
Não me dão abrigo, nem fulgor,
São só um suavíssimo sopro de sensações.

Sentimentos nascem sem ter motivo,
E crescem alimentados de pensamentos,
Teimosamente ternos, ilhados em dor.
Mas embriagados na alegria do cativo,
Que preso ao sentimento, diz lamentos,
Não querendo amar, ama o seu amor.

Se sentimentos fossem certezas,
Não teria duvidas algumas que viver
Seria insensivelmente desprezível
Por saber que não te poderia ter

Se pensamentos fossem duvidas,
Não duvidava nunca, que o amor
Seria inevitavelmente impossível,
Por não saber que te amava.





Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

A Verdadeira Religião

A religião, seja ela qual for, é algo de ordem pessoal, e não está e nem poderá ser colocada acima do Estado e nem da Lei.

A validade de uma determinada religião, mede-se pela sua capacidade em ser um instrumento que auxilie os seus fiéis, e contribua para o desenvolvimento dos mesmos e da coletividade, estando assim a par com outros instrumentos sociais, de cariz psicossocial, educativo, cultural e de solidariedade social.

Abraçar a causa de grupos-religiosos ou para-religiosos que ultrapassem estas características e finalidades, pode revelar-se uma má escolha.

Artigo 18.º - Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Toda a pessoa tem o direito à liberdade de pensamento, consciência e religião, este direito implica a liberdade de mudar de religião ou de convicção, assim como a liberdade de manifestar a religião, sozinho ou em comum, tanto em público como em privado, pelo ensino, pela prática pelo culto e pelos ritos.


















Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Poema # 44 - Sigo em Frente

Mesmo com todas as dores,
Eu sigo em frente.
Porque o passado que conheço já passou
Não o posso mudar.

Acima de todas as incertezas,
Eu sigo em frente.
Porque desconheço o futuro,
E não o posso evitar.

Apesar das dificuldades,
Eu sigo em frente,
Porque a cada manhã construo
A minha Vida

As dores dão lugar à satisfação,
As incertezas cedem perante a fé,
As dificuldades são superadas
Pelo belo esforço do sorriso.

E o suor que o meu corpo conhece,
Não é menos da labuta que do calor,
Ponho no futuro o que minh'alma tece
E o que meu coração almeja com fulgor.

Obrigado meu Pai, eu creio em Ti.
Porque sempre supriste todas as minhas necessidades,
Apaziguaste meu coração
Alegraste com Fé a minha Alma.

Mostras-te a luz azul que não se apagará,
Nos raios brancos cintilantes de prata,
E sereno senti que em Ti, minha vida está,
Sedenta, confiante e confusa mas grata.



Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Grande Marcha de Paris - Vive la Liberté

A Grande Marcha Republicana, foi promovida e organizada pelo PS Partido Socialista francês, iniciou-se hoje às 14h30 horas em Paris, reunindo mais de 1 milhão de cidadãos, de todas as nacionalidades e credos, onde juntou os familiares das vitimas do ataque ao Charlie Hebdo, com mais de 40 lideres mundiais, para além do Presidente Francês François Hollande, marcaram presença, Angela Merkel, David Cameroon, Mariano Rajoy, Benjamin Netanyahu, Ibrahim Boubakar Keita, Mahmoud Abbas, entre outros, que caminharam de braços dados da Praça da República até à Praça da Nação.


"Paris é Hoje a capital do Mundo", afirmou François Hollande, nesta marcha que diz não à violência e à barbárie do terrorismo, em defesa dos valores civilizacionais da liberdade de expressão, o dia de hoje marca assim a unidade de todos ao afirmarem "Nous Sommes Tous Charlie; Nous sommes tous juif e Vive La Liberté".


Não é a islamização da Europa que os europeus temem, poderá ser da extrema direita, que aliás ficou afastada da manifestação, o que nos levou às ruas nas capitais da Europa não é uma questão demográfica e étnica, é uma questão civilizacional. Não interessa se a maioria é ou será desta ou daquela religião, dentro de 20 ou 30 anos, interessa que os valores herdados se mantenham, porque o Bem Comum e os Direitos de toda a pessoa humana estão acima de toda e qualquer religião ou ideologia.

Esta manifestação, mostra para além da unidade dos europeus, que o que está em causa, não é o Charlie Hebdo em si, mas a liberdade de expressão e os valores ocidentais da democracia face ao fanatismo; Não se paga um insulto com a vida, não é algo equiparável. O que está em causa é muito mais profundo e de uma maior dimensão que o jornal em si.

No entanto o senso de humor, revela o grau de evolução de uma pessoa ou de uma comunidade, pois quem se ofende com o humor e a sátira dos cartoons, tanto mais se ofende com uma simples noticias que tenta relatar os factos.


A religião, seja ela qual for, é algo de ordem pessoal, e não está e nem poderá ser colocada acima do Estado e nem da Lei, podendo ser medida a validade de uma determinada religião, mede-se pela sua capacidade em ser um instrumento que auxilie os seus fiéis, e contribua para o desenvolvimento dos mesmos, da coletividade, estando assim a par com outros instrumentos sociais, de cariz educativo, cultural e da solidariedade social.

Após a marcha, o presidente francês dirigiu-se à Grande Sinagoga de Paris, com outros lideres de diversas religiões para prestar homenagem às quatro vitimas do Supermercado Kosher,Yohan Kohen, Yoav Hatab, Philip Braham e François Michel Saada, assassinados dia 9, e também pelo que esta homenagem visa também combater o antissemitismo.






De Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

Cartoon # 18 - The Freddom of Speech and Existence

Eis um cartoon, do jornal israleita o The Jerusalem Post, editado em inglês, e no qual retrata o seguinte diálogo:
Filho - Porque é que os cartunistas são assassinados?
Pai - Por causa da liberdade de expressão.
Filho - E então porque é que os judeus são assassinados?
Pai - Por causa da liberdade de existência.

De Autor Filipe de Freitas Leal

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.