Raif Badawi o Direito de Ser Blogger

Somos todos Raif Badawi, se acreditamos que a liberdade de expessão é um direito inalienável da Pessoa Humana, então todos somos Raif Badawi.

O Humanismo

O Humanismo mais que uma ideologia é uma praxis ao alcance de cada um de nós, somos chamados a fazer o que estiver ao nosso alcance e de acordo com as nossas possibilidades em prol do bem comum.

A Terceira Idade e a Cultura Intergeracional

A revolução grisalha, e a cultura de uma sociedade intergeracional, juntanto-se a todo o conjunto de uma cultura de inclusão, a força da juventude e a sabedoria da idade produzem um mundo novo.

Solidariedade Social

A solidariedade social, mais que comunhão de esforços em prol de causas é o dar-se em prol dos nossos semelhante, é um dos temas centrais deste blog,.

Trabalhos Académicos, do Serviço Social e Sociologia à Ciência Política

Desde 2010 que o Etcetera, disponibiliza para consulta, um conjunto de estudos académicos de várias áreas da ciência, como sociologia, psicologia, ciência política, economia social entre outras.

Sugestões de Leitura - Lista de Livros

Lista de Livros, sugestão dos mais importantes da Literatura Universal e Humanista, o mais importante é ler bons livros e não sermos guiados pelos livros da moda.

domingo, 24 de agosto de 2014

Proteger as Nossas Crianças # 1 - Bernardo Boldrini

A violência doméstica, infelizmente é uma realidade, que choca e que acontece silenciosamente, vitimando pessoas inocentes e indefesas, como cônjuges, crianças, doentes, e idosos, de ambos os sexos.

O Fenómeno é mundial, e ocorre de variadas formas, quer seja física, psicológica, maus tratos, discriminação e booling. Ocorrendo na maioria das vezes no seio da família, e tem como motriz, a cultura violenta e opressiva que se vive a cada dia mais, pelos meios de comunicação que vulgarizam a violência e desvalorizam a vida e a pessoa humana em todos os sentidos.

Dados da ONU afirmam que só no ano de 2002, cerca de 53.000 crianças em todo o Mundo, dos 0 aos 17 anos, foram vitimas de homicídio, e em muitos casos dentro do seio familiar onde a vitima vivia. Este é um fenómeno que se não for divulgado, discutido e cuidado, tornará ainda mais violenta e mais grave a situação em si.

Um dos exemplos mais flagrantes que ocorreu recentemente, foi no Brasil, no Estado do Rio Grande do Sul, na cidade de Três Passos, em que um menino de 11 anos Bernardo Boldrini órfão de mãe desde 2010, e a viver com o pai Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini, e ainda uma meia-irmã de um ano e meio, que nascera desta relação, Bernardo solicitou à justiça que lhe dessem outra família por sofrer de maus tratos e afirmar ainda que temia pela sua vida pois já havia sofrido uma tentativa de homicídio por asfixia além de ser obrigado a tomar medicamentos dados pela madrasta para o fazer adormecer, mas não foi ouvido e nem lavado a sério, pelo que a própria justiça cometeu um grave erro ao negligenciar a segurança da criança, tendo permitido que fosse mantido à guarda do seu pai e madrasta que o tratava mal, e o negligenciava com o conhecimento e consentimento paterno, em vez de procurar inserir este menino numa família de acolhimento.

O menino Bernardo Boldrini, desapareceu no dia 4 de abril, e foi encontrado morto dez dias após o desaparecimento a 14 de abril, estava enterrado numa posição semi-vertical, quase de pé, a autópsia feita pela polícia cientifica, revelou que a criança teria sido sedada com uma injeção letal, com medicamento usado na pena de morte em alguns Estados dos Estados Unidos da América; No dia 15 de abril o Brasil entrou em choque e comoção com o anúncio da justiça de que as suspeitas deste crime, recaíam imediatamente sobre o Pai e a Madrasta, surgindo uma terceira pessoa que terá ajudado no crime, uma assistente-social de nome Edelvânia Wirganovicz, todos os três foram indiciados e detidos estando em prisão preventiva, acusados de serem autores do crime de homicídio qualificado em primeiro grau. Aguardam julgamento por júri popular, o caso foi noticia no mundo inteiro, tendo chocado a opinião pública sobre a negligência da sua integridade e o fim trágico do planeamento à consumação da morte desta criança.

Resta no entanto saber o móbil do crime, tendo sido reaberto o processo da morte da mãe de Bernardo Boldrini, que antes se suspeitava de suicídio, como provável homicídio, por motivos de herança. O curioso neste acontecimento é os acusados fazerem parte de um padrão de nível social elevado, Leandro Boldrini é formado em Medicina (ou seja isto é um absurdo), em vez de salvar vidas, premeditou a morte do próprio filho, a Madrasta Graciele Ugulini é enfermeira de profissão, e a ajudante do crime, assistente-social. Há aqui uma verdadeira anomia, e um contrassenso que nos leva até à loucura, a negligência da justiça, e o facto de pessoas, cujas profissões que exerciam estarem diretamente ligadas à vida e ao bem estar da pessoa humana, serem eles os autores de um macabro assassínio de uma criança indefesa, do próprio seio familiar. Há algo de muito errado na sociedade contemporânea em que vivemos e que temos de pensar sobre isto, bem como lutar para que não volte a acontecer. 

Como pessoas e humanos que somos, temos o dever e a obrigação moral de pensar sobre estes casos, a sociedade como um todo é responsável pela defesa, de pessoas em situação de vulnerabilidade, como foi o caso deste menino, e o será de tantas outras pessoas, mulheres indefesas, idosos, doentes, a violência doméstica é um crime público e cabe a nós vizinhos, amigos, testemunhas, denunciar todo e qualquer maltrato contra uma pessoas, seja ela qual for.

As Pessoas devem estar em primeiro lugar em todos os setores e estruturas da sociedade, é para as pessoas que as instituições políticas, jurídicas, económicas e as de suporte social são feitas, pelo que a população brasileira está ansiosa para que a justiça se faça e funcione de facto, e que o poder legislativo crie leis que dêm condições legais de maior proteção às vitimas de maus tratos como foi o caso deste menino.


Resta-nos ainda a obrigação de estudar as razoes profundas da violência, que é hoje praticada, e que é fruto não só da maldade humana, mas de outras formas de violência que nos afetam sem darmos por isso, e estão por todo o lado à nossa volta, incitando-nos à violência, levando-nos à resignação a um mundo decadente, à depressão, e até à auto-violência, que é o suicídio e a cultura estabelecida faz com que a sociedade conviva com naturalidade à violência, que sofrem todos os indefesos como estas crianças, e o resultado será uma violência cada vez maior, numa sociedade e justiça surdas, num sofrimento invisível, mas que é colossal e se não a combatermos não saberemos onde irá parar.

Por Filipe de Freitas Leal

Referências:
Revista Veja - MP denuncia quatro por morte do menino Bernardo de 15/05/14
Jornal Zero HoraJustiça Nega Liberdade - E aguardam em Prisão Preventiva.
Jornal Zero Hora - Veja os principais diálogos entre a madrasta e Bernardo.
RBS TV - Videos no telemóvel/celular de Bernardo Boldrini gritando por socorro. 
CNN News - The mysterious death of 11 year old Bernardo Uglione Boldrini


contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor                                                                           
Filipe de Freitas Leal é Licenciado em Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É estagiário como Técnico de Intervenção Social numa ONG, vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, Blogger desde 2007, com o ideal de cariz Humanista, além disso dedica-se a outros blogs de cariz filosófico e poesia.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Desemprego # 2 - Subsídio Desemprego não chega a todos os desempregados.

Em Fevereiro de 1975 era criado em Portugal o SD Subsidio Desemprego. No entanto hoje, numa época tão difícil em que os desempregados atingem os 20% da população ativa, metade deles não usufrui de qualquer apoio no desemprego.
Um retrocesso não só na economia, mas também nos direitos dos cidadãos que trabalharam e contribuíram anos a fio.

A Situação dos desempregados tem vindo a agravar-se, pois os valores de referencia para a botenção não são iguais ao que eram há uns anos atrás, e devido a políticas ativas de emprego, recebe-se cada vez menos, e passados 180 dias, de se estar desempregado, são retirados 10%, já sem falar que o subsidio de desemprego pouco mais é do que 2/3 do que o trabalhador auferia no seu ordenado liquido. 

ISSP - Guia Prático - Subsídio de Desemprego
Pordata - Beneficiários do Subsído de Desemprego da Segurança Social
INE - A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2014
Observador - Há 311 mil desempregados sem apoios do Estado

Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

Atingimos os 500 Artigos Publicados

Com este artigo/post, o blog, atinge o número total de 500 artigos escritos e publicados ao longo de 7 anos, difundidos pelas redes sociais, com centenas de seguidores no facebook, twitter e google.

Obrigado a todos os leitores, que de uma forma pertinente ajudaram no debate de ideias, no apoio a causas, na divulgação de eventos.

Os blogs nascem pessoais, algo nosso a dizer ao mundo e a nós mesmos, mas eles ganham vida per si, e tornam-se propriedade pública de todos vós leitores, que são de acordo com o ideal humanista, o centro do nosso objetivo, e continuaremos, esperemos mais 500 artigos, bem como as vossas 500 criticas e sugestões sempre bem vindas.

No entanto serão agregados a este blog, os artigos de meus ouros blogs que estão agregados, e passará muito provavelmente dos 700 artigos já no inicio de setembro. Aguardem e cofiram.

Obrigado a todos.


Por Filipe de Freitas Leal

Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Centenário da I Guerra Mundial 1914-1918

A Europa e o Mundo celebraram o Memorial do Centenário da I Guerra Mundial, também conhecida como a "Guerra das Trincheiras", que se iniciou com o assassinato do Arquiduque austro-hungaro Francisco Fernando na cidade de Sarajevo, por um nacionalista sérvio, de nome Gavril Princip, esse foi o estopim para a declaração de Guerra do Império Austro-Hungaro ao Reino da Sérvia, tendo a Russia tomado a defesa dos sérvios, e assim sucessivamente, as Alianças complexas feitas na base de um xadrez político imperialista, despoleta uma situação irreversível e generalizada de guerra, em toda a Europa, e em outros continentes onde as potencias europeias tinham possessões.

O conflito divide-se em duas alianças fundamentais, a Tríplice Entente (Reino Unido, Russia, e França) e a Triplice Aliança, (Império Alemão,Império Autro-Hungaro e Império Otomano); Portugal em 1916 e o Brasil em 1917, participaram do conflito lutando ao lado da Tríplice Entente.

Portugal lutou com o CEP Corpo Expedicionário Português nas mais duras frentes de França, como na Batalha de Lalys, onde pereceram milhares de portugueses em combateA, e teve ainda combates em África na fronteira de Angola com a Namíbia, possessão alemã, outra possessão alemã em África era a Tanganica, que faz fronteira com Moçambique e onde houve outra frente de batalha.

A Revolução Russa de 1917, veio acelerar o fim da Guerra, retirando-se e entrando em cena os Estados Unidos da América, que graças a esse conflito, conquistaram a hegemonia mundial.

Com a derrota da triplice Aliança, desfazem-se impérios e surgem novos países e protetorados, assim o Império Otomano foi desmenbrado, ficando o Libano e a Siria com a França e o Egito e a Palestina (que incluia à altura o que é hoje a Jordânia), o Império Austro-Hungaro foi dividido e o Império Alemão que vê seu território diminuído, e ainda sofrendo humilhação pelo tratado de Versalles, condição que permitiu mais tarde a ascenção do Regime Nazista.

Recentemente os presidentes alemão Joachim Gauck e o presidente francês François Holland, estiveram de mãos dadas, colocaram flores no monumento aos soldados desaparecidos e discursaram em homenagem à paz, 100 anos após uma guerra fratricida opões o que hoje são povos aliados e irmãos, como sinal de experança para que outros conflitos também se resolvam e que outros povos desavindos também possam desfrutar da paz e do progresso para o bem geral e das gerações futuras. 

Por Filipe de Freitas Leal

 ´
Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

domingo, 17 de agosto de 2014

Por Um Silêncio Ativo em Prol da Paz

Promova o Silêncio Ativo, como modo de NVA Não Violência Ativa, porque as palavras também matam; Face aos atuais conflitos no Médio Oriente, sugiro que pare, informe-se e pense. Mantendo o silêncio, contra o ruído informacional.

1º - Entenda que você não está por dentro dos dossiers, e dos bastidores do poder.

2º - Entenda que você não está no terreno, para compreender todo o contexto.

3º -Entenda que você não saberá tudo, a partir, de uma simples Mancha de Jornal, ou de 10 minutos de uma reportagem televisiva que o que mais mostra é sangue.

4º - Entenda que tudo isto leva ao ódio contra pessoas inocentes que nada tem a ver com a origem do conflito.

5º - Entenda que a Paz começa por nossas atitudes, de respeito pela vida humana e a integridade moral e física de pessoas inocentes de ambos os lados do conflito.

Não promova imagens violentas, nas redes sociais, que inclusive podem ser propaganda falsa para conquistar a opinião pública.

Não promova frases e slogans que possam incitar o ódio racial e religioso
Não divulgue noticias que podem não ser verídicas.

Mantenha-se atento, calmo e sobretudo em
SILÊNCIO ATIVO. uma forma de promover a NVA Não Violência Ativa em prol da Paz.



A Arma mais poderosa para se ganhar uma guerra de Informação é a sua
ignorância.


Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

contador de visitas Pessoas viram este artigo

Cartoon # 13 - Antissemitismo em Jornal Português


Foi deveras, um dos mais polémicos e infelizes cartoons / charges que o jornal português DN 'Diário de Notícias' publicou a 1 de agosto, tendo inclusive suscitado a indignação e protestos da Embaixadora de Israel Tzipora Rimon, e do Presidente da CIL Comunidade Israelita de Lisboa José Carp.

Do meu ponto de vista, trada-se de um desenho de extremo mau gosto, e injusto na medida em que  tenta comparar com igual, o Holocausto sofrido pelos judeus, ao combate contra o terrorismo que Israel trava em Gaza.

O desenho da autoria de André Carrilho, intitulado "Evolução das Espécies", denota não só ignorância dos factos históricos e das circunstâncias do tempo do III Reich, bem como desconhecimento total da realidade politica que se vive no médio oriente. Levando-nos a crer que o desenho possa ter sido intencional e com um propositado sentido antissemita.

E se não há antissemitism em Portugal, eu gostaria que me dissessem e me explicassem, porque infelizmente não sou omnisciente e nem génio para saber tudo nem tenho a pretensão de ser o dono da verdade, mas tenho a ambição de ser um buscador incansável do conhecimento e da verdade, tal como ela deve ser conhecida, com espírito crítico e humilidade.

Por favor, digam-me então o que vem a ser isto?!?.

Este artigo respeita as normas do Novo Acordo Ortográfico

Sobre o Autor

 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Robin Wiliams - O Adeus de Um Talentoso Ator

Morreu o ator e humorista estadunidense, Robin Williams, (1951-2014) mundialmente famoso pelo modo marcante pelo seu talento, pelo seu senso de humor e de humanidade, estampado no seu sorriso e no seu olhar, como se estivesse sempre ao nosso lado, através dos seus filmes e sobretudo do carisma e pelo sorriso, que conquistou bem mais que duas gerações.

Dos filmes que mais marcaram podemos lembrar 'Clube dos Poetas Mortos', ou ainda Popye, Bom Dia Vietname, Hook, entre outros que tanto nos divertiram.

O Ator foi encontrado morto na sua residência na segunda-feira, 11 de agosto, a policia suspeita de suicido, desconhecendo contudo os motivos que o teriam motivado, mas suspeita-se que a causa tenha sido a depressão contra a qual o ator lutava.

Robin Williams, deixa-nos tristes, deixa-nos mais pobres, sobretudo por ser um Ser Humano de grande talento brilhante, e de um grande coração, como escreveu o jornal birtânico "The Guardian", aqui deixamos a nossa sentida homenagem. RIP Dear Robin Williams. 



Autor Filipe de Freitas Leal


Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

domingo, 10 de agosto de 2014

O Estertor de Uma Civilização

adolescente rezam numa Igreja cristã queimada
Tanto quanto as guerras e os conflitos militares que existem, há hoje uma guerra surda, do estertor de uma civilização que soçobra, vacila e reage, fingindo erguer-se, na aparência externa do progresso, da tecnologia de Ponta, ou da cultura de massas, que mais que divertir embriaga, nos ilude, nos aprisiona.

E o estertor é ele mesmo, revelado nos conflitos armados, nas guerras, que são presságio de mudança, quem imaginava há 20 anos atrás, os conflitos que hoje nos afligem e colocam irmãos contra irmãos? Quem imaginaria, a extinção total dos cristãos do médio oriente? Quem imaginaria que seriam crucificados na Síria, fuzilados no Iraque, entre outros países?

Está a nascer uma nova civilização, lentamente, mas progressivamente assume seus passos com determinação. ao que para nós é o desconhecido.

Há uma guerra interna, nos nossos corações e nas nossas mentes face a essa mudança, uma guerra surda, porque no fundo o que as pessoas se perguntam é se há algo de bom que possa permanecer ou vir.

Não percamos nunca a capacidade de Ser, de amar, e sobretudo de valorizar a vida, não a nossa própria vida, mas o conjunto de toda as vidas. No respeito pelas pessoas, pelos animais e pela natureza.

Por fim, não tenham medo de discursar, um discurso Humanista, e de discutir, refletir, e denunciar, desde que seja algo que construa, que promova, mesmo que isso só conquiste uma única pessoa, já terá sido válido, para a partir dela mais outra, e mais outra.

Afinal foi de discursos que a história se fez, o que foram os sermões de Cristo? Discurso; O que disse ao povo hebreu Moisés? Discursos; O que terá discutido Sócrates com os seus alunos; Discursos; O que fizeram os grandes estadistas quando fizeram a História a partir das suas decisões e da Dialética natural dos factos? Discursos; O que fazem os pais quando ensinam aos filhos? Discursam;

E que esta civilização que nasce, não seja o ovo da serpente que todos temem, mas antes, a civilização de pessoas conscientes, preocupadas com o rumo que o Mundo em si, está a tomar.

Por Filipe de Freitas Leal




Este artigo respeita as normas do novo Acordo Ortográfico.



Sobre o Autor



 - Nasceu em 1964 em Lisboa, é estagiário em Serviço Social, numa ONG, tendo se licenciado pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa - ISCSP/UL, Fundou este blog em 2007, para o debate de ideias e a defesa do ideal humanista, edita ainda outros blogs, desde filosofia à teologia e apoio autodidático. (ver o Perfil)

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Organização - Crie Suas Próprias Pastas

Organizar os seus documentos, e separa-los por prioridades em pastas de dos diversos assuntos da sua vida pessoal, estudantil e profissional é fácil, e ajuda bastante no dia a dia. veja como pode fazer voce mesmo em sua casa.

Para tal, vai necessitar do seguinte material
- 4 cartolinas de tamanho normal (50cm x 65 cm) de cores diferentes se preferir.
- 1 tesoura ou x-ato (estilete)
- 1 lápis
- 1 régua de 30cm ou de preferência 40 cm
- Etiquetas
- Clipes coloridos

Comece por dobrar uma cartolina ao meio, e corte-a com tesoura ou x-ato (estilete) e volte a dobrar as metades já cortadas.

De seguida, com  as cartolinas, use a régua e o lápis, e do lado da abertura, meça 2,5 cm da direita para a esquerda, trace uma linha reta de cima a baixo, onde será dado o corte para que as pastas tenham o tamanho ideal de entrada numa papeleira de escritório.

Após cortar a margem de 2,5 cm, adicione a Etiqueta, e escreva o Titulo da Pasta,
adicione-lhe um clip de tamanho médio, colorido, onde poderá já afixar alguns documentos a tratar.

De seguida separa na sua papeleira de acordo com o seu próprio critério, este modo de organização feita através de trabalhos manuais, é ótima, barata, e facilita, imenso para ter sempre à mão os documentos que precisa, na hora de tratar de algum assunto, não esquecendo claro da preciosa Agenda.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O Mais Importante é Não Perder a Paz

Mais importante que ganhar a guerra, é não perder a Paz.
Neste momento é o que se tem vindo a perder, numa espiral de violência
em todo o Mundo Árabe. Resta saber até onde irão soprar as ondas de choque deste terramoto político, religioso e cultural do Médio Oriente, face a uma ONU que na prática é um boneco de faz de conta, e face ao Ocidente EUA e Europa divididas e decadentes, bem como a perda da influencia das Igrejas Cristãs na sociedade moderna?!?

Nada se perde tudo se transforma, o que hoje é uma crise económica, poderá ser amanhã uma crise política, cultural e assim sucessivamente, até entrarmos numa crise civilizacional, com novos valores, novas culturas, e novos modos de exercer o poder sobre as massas dominadas (quer elas se apercebam disso quer não) esta civilização que as pessoas da minha idade e mais velhas conheciam, está a ruir, não é apenas a evolução dos tempos modernos, com novas tecnologias, é um ruir de valores elementares, dos quais se formaram as bases para a Democracia e o Estado de Direito. É do oriente que vem os novos ventos, que impõe a mudança, foi assim que nasceu a Europa, vinda do Oriente (Anatólia) voando sentada em cima de um touro alado.

Embora a História se repita, e muitas crises sejam cíclicas, quando voltam deixam sempre marcas profundas e irreversíveis, e face ao recrudescimento das convulsões políticas no mundo árabe, a posição da diplomacia Argentina de retirar a cidadania a cidadãos israelitas com dupla nacionalidade bem como a pressão dos países europeus contra a ofensiva israelita, é exatamente o que Israel deveria ter evitado, ou previsto e é precisamente o que o Hamas desejava, pois o enfraquecimento militar do Hamas através dos bombardeamentos israelitas, não é nada comparado com o fortalecimento que lhe é dada à sua posição política, quer a nivel internacional e sobretudo a nível interno do mundo árabe, isolando Marhmoud Abbas e a Al-Fatha, e este sendo substituído na liderança teremos uma radicalização e um retrocesso na política da Autoridade Palestiniana, e ainda maior nos movimentos extremistas islâmicos que se espalharam por todo o mundo.

Temos muitas perguntas, observamos muitos factos, e através de meios de informação diversos, e por vezes parciais e tendenciosos, de tal modo que não obtemos respostas, mas ainda que sem respostas para todas esta crise civilizacional, a única bandeira em que eu acredito é no Humanismo.

É o Fator H, o que não pode faltar seja em que cultura for, as pessoas estão e deverão estar em primeiro lugar, na construção de um mundo melhor, ainda que as civilizações sejam mutáveis, ou morram tal como nascem. Mas que não deixemos morrer em nós os valores maiores, que as civilizações anteriores nos trouxeram, seja do cultura greco-romana, da religião judaico-cristã,, seja do renascimento, ou da cidadania e dos Direitos Humanos nascida com a Revolução Francesa, o Humanismo é o que nos trouxe até aqui, e é o que nos permitirá ir mais longe, porque mais importante que ganhar a guerra seja contra o que for, tal como D. Quixote contra os Moinhos, ou seja contra inimigos reais, o que não podemos perder é a PAZ que emana do ideal do Novo Humanismo.

Por Filipe de Freitas Leal


Autor Filipe de Freitas Leal

contador de visitas Leituras visualizações

Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Celebrar Zeca Afonso (1929-1987)

Zeca Afonso, (1929-1987) era conhecido Como Mais, o grande compositor, cantor e português, cuja Música Tipicamente portuguesa, FOI UM marco na Medida los que era UMA Música de Intervenção, e de critica social, Bem Como de enaltecimento da alma portuguesa.

Neste Ano, SEUS OS comemorar-se-iam 85 Anos se Fosse vivo, Naturais de Aveiro, viveu em Angola DOS 3 AOS CINCO Anos, Tendo voltado a Aveiro, formou-se Pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, chegando hum Ser professora , Mas um com SUA Carreira Artística Canciones de Intervenção, levaram o regime fascista UMA afasta-lo Fazer ensino, Das marcantes SUAS Músicas FICAM MAIS,  Grândola  Vila Morena , hino da Revolução dos Cravos, Bem com OUTRAS de Igual importancia na Intervenção politica atraves da Arte e da Música, Como Venham Mais Cinco , OU AINDA Cantigas de Maio , de tal Modo incomodou o regime fascista Opaco Esteve Preso los Caxias los 1973.

FOI UM grande poeta e hum Homem incontornável da Cultura portuguesa moderna, a Esclerose de Opaco sofria FE-lo morre r prematuramente EAO 58 Anos los Setúbal.

Fonte: Infopédia: www.infopedia.pt / jose-afoso

Filipe de Freitas Leal.


No Céu Cinzento soluçar o astro mudo 
Batendo como asas Pela Noite calada 
VEM los bandos Com PÉS Veludo 
O Sangue Fresco chupar da manada

Se alguem se Engana com Seu ar sisudo 
E lhes franqueia As Portas uma chegada 
ELES COMEM Tudo ELES COMEM Tudo 
ELES COMEM Tudo E Localidade: Não deixam nada [Bis]

A Toda A Parte vampiros OS Chegam
Poisam nn Prédios Poisam NAS Calçadas
Trazem nenhum ventre despojos Antigos
Mas nada OS PRENDE AS VIDAS acabadas

Mordomos OS São Faça TODO Universo
Senhores A Força Mandadores lei SEM
Enchem como Tulhas Bebem vinho novo
Dançam a ronda No pinhal Do Rei

ELES COMEM Tudo ELES COMEM Tudo
ELES COMEM Tudo E Localidade: Não deixam nada

No Chão do Medo Tombam OS vencidos
Ouvem-se OS Gritos Na Noite abafada
Jazem nn fossos vitimas dum credo
E Localidade: Não se esgota O Sangue da manada

Se alguem se Engana Com Seu ar sisudo
E LHE franqueia Como Portas uma chegada
ELES COMEM Tudo ELES COMEM Tudo
ELES COMEM Tudo E Localidade: Não deixam nada
ELES COMEM Tudo ELES COMEM Tudo
ELES COMEM Tudo E Localidade: Não deixam nada

Autor Filipe de Freitas Leal


Sobre o Autor

Filipe de Freitas Leal nasceu em Lisboa, em 1964, estudou Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Estagiou como Técnico de Intervenção Social numa Instituição vocacionada à reinserção social de ex-reclusos e apoio a famílias em vulnerabilidade social, é blogger desde 2007, de cariz humanista, também dedica-se a outros blogs de temas diversos.